Cal Aérea Hidrófuga em Pasta

Ficha TécnicaFicha Técnica de Segurança Ficha de Dados de Segurança

TIPO DE MATERIAL

Cal aérea como ligante natural hidrofugado a partir de utilização de subproduto do azeite

CL 90 de acordo com EN 459-1

CARACTERISTICAS DO MATERIAL

Fendilhação nula após conclusão dos trabalhos
Boa aderência aos materiais de suporte
Baixo coeficiente de capilaridade
Elevada durabilidade
Boa plasticidade
Hidrófuga
Condutibilidade térmica constante
Bactericida
Permeável ao vapor de água
Boa trabalhabilidade
Óptimo envelhecimento
Carbonatação: 240 dias para 1,5 cm de espessura (variável em função da humidade relativa)

FUNÇÕES

Fabrico de argamassas para revestimentos exteriores de edifícios, assentamento em alvenarias.

APLICAÇÕES

1) Revestimentos Exteriores de paredes antigas (Reabilitações):

(Alvenaria de pedra e tijolo burro ou maciço)

Picar até ao osso sempre que as argamassas existentes não se apresentem em boas condições e limpar o suporte com ajuda de escovas, jacto de água ou ar comprimido.

Sempre que as argamassas existentes reúnem condições para permanecer parcialmente, propomos a execução das novas argamassas com Cal Aérea Não Hidrófuga em Pasta D.Fradique

Deverão ser previamente verificadas as condições de drenagem em profundidade e drenagem superficial das fundações das paredes a revestir. Igualmente deverão ser verificadas as condições de funcionamento das coberturas

Sempre que se justificar deverão ser aplicados biocidas nas condições indicadas pelos fornecedores.

Após a eliminação das entradas de água no suporte, aplicar quando necessário, produto neutralizador de salitre.

Humedecer bem as alvenarias existentes (Deixar escorrer água, em pequenas quantidades de cada vez, ao longo da parede)

Efectuar os encasques pontuais e emboços necessários com espessura não superior a 1,5 cm em cada um, utilizando traço 1 : 3,5 (1vol. Cal Aérea Hidrófuga em Pasta D.Fradique + 2 vol. areia do rio, ou areia média lavada, e 1.5 vol. areia fina lavada) com Aditivo Pozolânico D.Fradique à taxa de 15% do volume da cal.

Efectuar o reboco (ultima camada) com espessura não superior a 0,5 cm.

– traço 1 : 3 ( 1 vol. Cal Aérea Hidrófuga em Pasta D.Fradique + 3 vol. areia fina lavada) com Aditivo Pozolânico D.Fradique à taxa de 15% do volume da cal.

O acabamento final poderá ser areado, ou apertado à costa da colher

Em alternativa o acabamento final poderá ser um barramento, podendo ser dispensada a argamassa ao traço 1:3 com areia fina. Assim a argamassa a utilizar no reboco é igual à do emboço e a camada não deverá ter espessura inferior a 1cm dada a dimensão máxima das areias. Será executado um acabamento talochado e aplicado com a massa sezoada mas não endurecida, um barramento com Massa Especial de Barramento D.Fradique com Aditivo Pozolânico D.Fradique passado, à taxa de 7% do volume desta massa de barramento.

A execução de qualquer camada será sempre precedida do conveniente humedecimento da anterior (recomendamos a pulverização ou em alternativa a “caiação” com água utilizando brocha)

O aperto das argamassas quando começam a “sezoar”, isto é, a perder a água de amassadura e o posterior reaperto sobretudo no reboco, (ultima camada do revestimento), constituem procedimentos indispensáveis a uma boa compactação e ausência de fendilhação por dessecação nos primeiros dias a seguir à aplicação da argamassa.

A fendilhação a aparecer no emboço será sempre eliminada pela aplicação da última camada.

Para situações em que a espessura total do revestimento é não superior a 1,5cm, sugerimos a leitura do texto existente na ficha técnica do Aditivo Pozolânico

Pintar com tintas de base de cal ou de silicatos com adequada permeabilidade ao vapor de água.

2) Revestimentos Exteriores de paredes em obras novas:

(Alvenaria de tijolo furado ou perfurado e betão)

Deverá ser efectuada adequada limpeza do suporte

Deverão ser previamente verificadas as condições de drenagem em profundidade e drenagem superficial das fundações das paredes a revestir.

Igualmente deverão ser verificadas as condições de funcionamento das coberturas

Executar salpisco de cimento ao traço 1:3. após prévio humedecimento de suporte

Voltar a humedecer bem as alvenarias existentes (Deixar escorrer água, em pequenas quantidades de cada vez, ao longo da parede)

Efectuar os desempenos e emboços necessários com espessura não superior a 1,5 cm em cada um, utilizando traço 1 : 3,5 (1vol. Cal Aérea Hidrófuga em Pasta D.Fradique + 2 vol. areia do rio, ou areia média lavada, e 1.5 vol. areia fina lavada) com Aditivo Pozolânico D.Fradique à taxa de 15% do volume da cal.

Efectuar o reboco (ultima camada) com espessura não superior a 0,5 cm.

– traço 1 : 3 ( 1 vol. Cal Aérea Hidrófuga em Pasta D.Fradique + 3 vol. areia fina lavada) com Aditivo Pozolânico D.Fradique à taxa de 15% do volume da cal.

O acabamento final poderá ser areado, ou apertado à costa da colher

Em alternativa o acabamento final poderá ser um barramento, podendo ser dispensada a argamassa ao traço 1:3 com areia fina. Assim a argamassa a utilizar no reboco é igual à do emboço e a camada não deverá ter espessura inferior a 1cm dada a dimensão máxima das areias. Será executado um acabamento talochado e aplicado com a massa sezoada mas não endurecida, um barramento com Massa Especial de Barramento D.Fradique com Aditivo Pozolânico D.Fradique passado, à taxa de 7% do volume desta massa de barramento.

A execução de qualquer camada será sempre precedida do conveniente humedecimento da anterior (recomendamos a pulverização ou em alternativa a “caiação” com água utilizando brocha)

O aperto das argamassas, quando começam a “sezoar”, isto é, a perder a água de amassadura e posterior reaperto sobretudo no reboco, (ultima camada do revestimento), constituem procedimentos indispensáveis a uma boa compactação e ausência de fendilhação por dessecação nos primeiros dias a seguir à aplicação da argamassa.

A fendilhação a aparecer no emboço será sempre eliminada pela aplicação da última camada.

Para situações em que a espessura total do revestimento é não superior a 1,5cm, sugerimos a leitura do texto existente na ficha técnica do Aditivo Pozolânico

Pintar com tintas de base de cal ou de silicatos com adequada permeabilidade ao vapor de água .

3) Assentamento de alvenarias:

Assentamento em alvenarias resistentes (de acordo com o projecto)

Assentamento de outras alvenarias

Sugerimos que após devido humedecimento dos tijolos ou pedras, o assentamento seja efectuado com a argamassa acima indicada para os emboços e com junção de Secante Pozolânico entre 5 e 10% do volume da argamassa.

MASSA VOLÚMICA APARENTE

1300 kg / m3

RENDIMENTO TEÓRICO

1 saco de Cal Aérea Hidrófuga em Pasta D.Fradique (15l de cal) para 3 m2 de

reboco com 1,5 cm de espessura

1 contentor de Cal Aérea Hidrófuga em Pasta D.Fradique (600l de cal) para 120 m2 de reboco com 1,5 cm de espessura

SISTEMA DE APLICAÇÃO

Dos sacos e contentores será retirado o excesso de água a aplicar em humedecimento do suporte, na diluição de pigmentos ou simplesmente em acertos do volume de água da amassadura.

Cal Aérea Hidrófuga em pasta D.Fradique será introduzida na misturadora, de preferência de eixo vertical, durante o processo de introdução das areias, não sendo necessário a adição de água na maior parte dos casos. A argamassa pode ser aplicada de forma tradicional ou utilizando máquina de projectar adequada a rebocos.

COMPOSTOS IDENTIFICADOS E PROPORÇÃO NA CAL

Hidróxido de cálcio – composto predominante
Carbonato de cálcio– fraca proporção
Hidróxido de magnésio – fraca proporção
Óxido de magnésio – fraca proporção

INCOMPATIBILADES

Aplicação directa sobre o ferro

HIGIENE E SEGURANÇA

Consultar Ficha de Segurança

NOTA IMPORTANTE:

Imprimir esta página